terça-feira, 29 de junho de 2010

Anápolis: Notas!





O Jornal de Anápolis

Painel ///

Keila Resende    

“Dilma é fogo de palha alimentado com dinheiro público”
Do deputado Ronaldo Caiado (DEM) no Twitter, sobre a dianteira conferida pelo Ibope a candidata petista

SEARA POLÍTICA

Adhemar Santillo contesta a leitura do cenário político anapolino feita pelo colega Mauro Miranda. Confrontado com as últimas pesquisas que apontam Iris Rezende bem atrás do seu adversário, Mauro defende a tese que a situação do peemedebista será revertida com o apoio do aliado Antônio Gomide e que o petista será seu grande cabo eleitoral. Para Adhemar o argumento é um grande equívoco: a alteração que houver no eleitorado acontecerá pela atuação do próprio candidato. Ele não acredita em transposição de prestígio, isso acontece com Lula e Gomide não tem a força de Lula para transferir votos. Mesmo que o planejamento eleitoral do PMDB esteja em grande parte atrelado ao PT, o prefeito anapolino estaria abraçando uma causa que não lhe é verdadeira. Portanto, cabe a Iris Rezende melhorar seu desempenho e dar mais atenção para a cidade. Considerado os diferentes raciocínios, uma coisa é certa: a análise correta dos fatos vai fazer toda a diferença para o candidato do PMDB.

INDICADO

O PT fez nessa sexta-feira (25) seu encontro para confirmar o apoio a Iris Rezende (PMDB), candidato a governador. A sigla petista defende uma chapa separada dos peemedebistas para deputado - tanto estadual quanto federal - e deve buscar alianças com partidos menores. O encontro dos delegados do PT confirmou o nome do companheiro Pedro Wilson para o Senado e de Rubens Otoni para federal. Os petistas, que até outro dia reivindicavam a vice de Iris, esperam agora o desenrolar do fechamento de alianças e a definição do cenário político para tentar o tão sonhado chapão lulista em Goiás.

Água e óleo

Tudo indica que apesar do consórcio PMDB/PT, os comitês políticos dos dois partidos devem ser separados. Existe por parte dos peemedebistas um certo desconforto em se juntar aos petistas. Eles acham que não dá para conciliar interesses conflitantes .


Vale quanto pesa

Para dar um ar de legalidade ao trem da alegria dos 400 novos cargos criados dentro da reforma administrativa, o prefeito fez um acordo com os vereadores, que eles apresentem os currículos dos seus apadrinhados. Não existe cota definida, cada um emprega quem puder.

Pode?

O vereador Domingos de Paula, conhecido como Dominguinhos do Cedro, está apregoando a quatro ventos sua candidatura a deputado federal. O petebista esqueceu de um pequeno detalhe: está inelegível por três anos e o processo de perda de mandato está em trânsito.

Socorro!

A crise financeira da Maternidade Dr. Adalberto se agrava. Com a CND negativa junto ao INSS, a instituição não pode receber recursos dos convênios. Para complicar ainda mais a situação os funcionários entraram no MPT para receber os salários atrasados.

Parafernália

O prédio da Praça Americano do Brasil virou uma confusão total. Não se sabe se o local é biblioteca ou Secretaria de Saúde. Disputando espaço, o acervo de quase 60 mil livros foi confinado no primeiro andar e no térreo funcionam departamentos ligados à Saúde.

Incongruente

O SindiAnápolis está revoltado com a postura de Dido Jayme. Em sua época de sindicalista ele barrou na Câmara o projeto de segregação de massas dos inativos. Agora, como presidente do ISSA, ele ressuscitou a proposta e quer que os aposentados a engulam sem esbravejar.

Consequência

Com o gradativo aumento de cargos comissionados e a redução dos funcionários efetivos os cofres do ISSA estão sendo corroídos lentamente. Outro receio dos aposentados é o patrimônio do Instituto, que pode ser engolido pela administração se o órgão deixar de ser autarquia.

Anápolis: ampliação da Base Aérea!





Base Aérea vai ser triplicada
Unidade irá ganhar novos parques aeronáuticos e o seu efetivo irá quase que triplicar nos próximos oito anos, segundo o planejamento estratégico da Força Aérea Brasileira

A Base Aérea de Anápolis (BAAN) deve se tornar, nos próximos oitos anos, num dos maiores e mais importantes complexos da Força Aérea Brasileira (FAB). O comandante da corporação, coronel aviador Alcides Teixeira Barbacovi, apresentou parte do planejamento estratégico que deve ser implementado já a partir do ano que vem, em etapas, num período de oito anos.

Segundo o comandante, a Base Aérea tem hoje uma área de 16,5 mil metros quadrados, que deverá ser quase que totalmente ocupada com a criação dos parques de material bélico, de material de aviação e uma nova unidade de caças supersônicos. Conforme adiantou, os 36 novos aviões que o governo brasileiro está adquirindo, podem ficar, todos, incorporados à frota da unidade. Barbacovi salientou que não há, ainda, uma definição sobre qual modelo de aeronave virá para o Brasil, pois não se trata apenas de adquirir um novo caça, mas adquirir também tecnologia. A decisão será entre três marcas: uma francesa (Dassault/Rafale), uma sueca (SAAB/Gripen-NG) e uma americana (Boeing F-18 E/F Super Hornet).

Ainda em relação aos investimentos, o comandante destacou que a Companhia de Artilharia Aérea que será implantada na BAAN é algo novo no País e envolve a aquisição de unidades móveis de grande porte, capazes de transportar foguetes para defesa de aeronaves ou outros tipos de alvo. Além disso, a pista para pousos e decolagens também será ampliada. A Brigada de Saúde, que hoje tem capacidade de atendimento para 5.420 pessoas/mês, está com estimativa de crescer para 10.457 atendimentos. O Hospital será ampliado, mas haverá a necessidade de se ampliarem os convênios fora do sistema próprio.

O efetivo atual, de mil militares, deve ser ampliado para mais de três mil. Com isso, há a previsão de se construírem, pelo menos, mais 900 residências, sendo que a meta é para 200 unidades na Vila Santa Isabel e 700 apartamentos no conjunto localizado no Bairro Anápolis City. Fora as moradias, os investimentos previstos beiram R$ 90 milhões. O investimento global, incluindo as moradias, deve ultrapassar a cada de R$ 360 milhões.

Oportunidades

O comandante observou que é importante ao empresariado local estar atento às oportunidades que vão surgir, principalmente em relação às obras de construção civil. Ele apresentou gráficos demonstrando que, atualmente, as compras da unidade no Município ainda são pouco significativas, dentro do orçamento de que a BAAN dispõe.

Devido à movimentação que esta expansão irá trazer, o comandante relatou que juntamente com o Executivo Municipal e as lideranças empresariais, está fazendo gestões em prol da duplicação de parte da BR-414, que dá acesso à unidade. No caso do Parque de Material Bélico, que vai demandar transporte pesado, a localizando dentro da área foi definida para que haja opção, também, pela BR 153 (Belém-Brasília).

O comandante lembrou que a BAAN hoje já sedia, além dos grupamentos de caça, também o 2º e o 6º grupos de Aviação, que são responsáveis pelo SIVAM - Sistema de Vigilância da Amazônia - com as aeronaves ER-99, incorporadas à frota em julho de 2002, que dispõem de radares e equipamentos de alta tecnologia, colocadas a serviço do País para, não só auxiliar a defesa do espaço aéreo nacional, mas, também, servir como provedor de dados para vários órgãos governamentais e não-governamentais nas áreas de meio ambiente, defesa (combate ao narcotráfico), FUNAI e vários outros.

Social

O comandante apresentou, ainda, algumas ações sociais e de integração com a sociedade, que a Base Aérea vem desenvolvendo ao longo dos anos, como o tradicional evento dos portões abertos, que já chegou a receber um público de mais de 60 mil pessoas; o “Arraiá da Base”, festa junina que arrecada cobertores para serem doados a famílias carentes, além da participação no projeto AABB/Rotary/Comunidade e no Projeto Força no Esporte, através do qual, 400 crianças e adolescentes recebem assistência de alimentação, atividades esportivas e reforço escolar, com transporte gratuito para o deslocamento da escola para a Base.

Para o presidente da Acia, Ubiratan Lopes, os investimentos na Base Aérea trarão uma nova perspectiva de desenvolvimento para Anápolis. Na área da construção, ele observou que as construtoras e incorporadoras da cidade têm, hoje, condições de competir para realizar obras. Mas, observou, de maneira geral, que o empresariado deve conhecer melhor os procedimentos para fazer negócios com a Base Aérea. Neste intuito, foi até feita uma proposta ao comandante para a reativação do Escritório Facilitador, que já funcionou em outro comando, com pessoas qualificadas para prestarem orientações aos empresários. O comandante da BAAN recordou que havia grande dificuldade em adquirir pães na região e, em função disso, a unidade teve, até, que montar uma panificadora própria.


Autor: Claudius Britos

CONTEXTO POLÍTICO




O Jornal de Anápolis

Claudius Britos

Começa o jogo eleitoral

Até o dia 30, o eleitor goiano conhecerá quais são, verdadeiramente, as peças para o jogo eleitoral deste ano. Até lá, todos os partidos deverão realizar as suas convenções para a formação das chapas com os nomes e alianças que vão concorrer aos cargos de deputado estadual, deputado federal, senador (e suplente) e governador (e vice-governador). Além, claro, da eleição para a Presidência e Vice-Presidência da República.

A movimentação tem início no sábado, com a convenção do PMDB, marcada para o Centro de Convenções de Goiânia, para homologar o nome de Iris Rezende para a disputa do Governo. O PT realiza na sexta-feira, 25, um encontro da Executiva para deliberar sobre as candidaturas, devendo fechar os acordos no dia seguinte. O PC do B, que vai estar na aliança peemedebista deverá fazer uma convenção conjunta. O PR fará a sua convenção no domingo, 27, na Câmara Municipal de Goiânia, para homologar a candidatura do ex-prefeito de Senador Canedo, Vanderlan Cardoso. Devem acompanhar o partido em convenção conjunta, o PP do governador Alcides Rodrigues e mais o PTN, o PV e o PSC.

O PSB, que inicialmente sinalizou apoio à Nova Frente, ainda não fechou questão e vai fazer a sua convenção no dia 30. Mesma data em que o PSDB irá reunir os seus convencionais para homologar o nome do senador Marconi Perillo para o Governo. Os tucanos vão se reunir no Goiânia Arena. E, também no dia 30, na Câmara Municipal de Goiânia, o Democratas fará o seu encontro para definir de que lado irá ficar na disputa regional. O PTB fecha com a candidatura de Marconi Perillo no dia 30, em convenção a ser realizada no Goiânia Arena.


Demóstenes I

O senador Demóstenes Torres (DEM-GO) lançou em Anápolis, o livro: “Máximas do Twitter”, no qual apresenta as mensagens postadas por ele e seus seguidores no microblog. Segundo ele, é uma ferramenta de rápida interação com as pessoas, onde as perguntas são rápidas e as respostas devem ser dadas da mesma maneira. Ele afirmou que cuida, pessoalmente, de atualização das mensagens, muitas vezes à noite, nos fins de semana e, nos dias de semana, quando a agenda permite.

Demóstenes II

O lançamento do livro acabou transformando-se em um evento político, naturalmente, com a presença de vários deles. Entre os que foram buscar um autógrafo, estava o ex-prefeito Pedro Sahium que acabou ganhando uma declaração do senador, que é considerado um dos pais do projeto “Ficha Limpa”. Na coletiva com a imprensa ele abonou Sahium, dizendo que o mesmo está apto a concorrer a cargos eletivos no próximo pleito. É que Sahium responde a processo que, inclusive, foi motivo de criação de uma Comissão Especial de Investigação na Câmara Municipal, no caso do Mercado do produtor.

Demóstenes III

Quando questionado a respeito do posicionamento do Democratas, nas eleições deste ano para o Governo de Goiás, Demóstenes Torres não apresentou nenhuma novidade, disse apenas que o partido decidiu fazer uma escolha democrática ouvindo as suas lideranças e que, após mapeadas as opiniões, é que será tomada a decisão. Ele é parte interessada no processo, pois quer uma vaga na chapa para disputar a reeleição. Perguntado sobre quem estaria mais próximo nessa consulta, respondeu: “estamos mais próximos do eleitor, que é quem vai definir a questão”.


Realizado

O ex-prefeito Pedro Sahium, que se elegeu pelo PSB, ficou sem partido e hoje filiado ao Democratas, disse que não sabe, ainda, se será ou não candidato a deputado estadual, sabendo que legalmente poderá concorrer. É que, segundo ele, há mais coisas a pesar na balança como o apoio da família e os compromissos profissionais, já que está à frente de alguns projetos na área educacional. E, conforme observou, a vida de professor, embora não seja fácil, nem de longe é parecida com a vida de político. Sahium ressalta que se sente realizado, que em sua gestão, foi feita a preparação do automóvel (se referindo à Máquina Administrativa) que graças a isso os projetos da cidade estão caminhando, muitos deles originários de sua gestão, como o Rápido. Disse que se não for candidato, ficaria feliz com a candidatura do médico Cláudio Paiva, também cotado para disputar uma das 41 vagas da Assembleia Legislativa.


Pedofilia

A Comissão Parlamentar de Investigação da Assembleia Legislativa que investiga a pedofilia, ainda não tem uma data definida para entregar o relatório final dos trabalhos. A CPI realizou audiência em algumas cidades do interior. Só que a Comissão tem recebido mais pedidos de audiências e, isso, deve esticar um pouco o prazo. Será que haverá reunião em Anápolis? Com a palavra a relatora da CPI, deputada Isaura Lemos (PDT).

Verba

A Câmara de Vereadores aprovou o projeto do Prefeito Antônio Gomide, promovendo alterações no orçamento da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano Sustentável, para prover dotação ao programa de asfalto que está sendo realizado nos bairros da cidade, num montante de cerca de R$ 20 milhões. Também aprovou o projeto que dispõe sobre a gratificação de produtividade para os fiscais da Prefeitura. Foi ainda aprovada mudanças na remuneração dos conselheiros tutelares.


Recesso

Com as votações desta semana, a Câmara Municipal entrou em recesso. As reuniões ordinárias só voltam a acontecer no mês de agosto próximo. Mas os trabalhos administrativos e nos gabinetes não irão parar, pelo menos em sua grande maioria. A turma do vereador Domingos de Paula, vai ganhar férias.

Disciplina

O vereador Valmir Jacinto está disposto a fazer valer o cargo que assumiu, de corregedor do Legislativo. Distribuiu um memorando aos seus pares, sobre algumas regras que os mesmos deveriam adotar, para melhorar a imagem do parlamento. Está atento, portanto, não só quanto à quebra de decoro, mas também aos bons modos, que cabe em qualquer lugar, ainda mais em uma Casa que é, ao mesmo tempo, vitrine e vidraça.

Vigilância

O presidente do Sindicato das Indústrias Farmacêuticas no Estado de Goiás (Sindifargo), Marçal Henrique Soares, informou na reunião da ACIA, na última quarta-feira, 23, que o secretário estadual da Fazenda, Célio Campos Júnior, manifestou apoio ao projeto para a criação da Agência Goiana de Vigilância Sanitária. O que, conforme adiantou, irá beneficiar, pelo menos, 80 atividades produtivas que dependem da fiscalização e de outros procedimentos vinculados ao órgão, que hoje são feitos apenas em Brasília. Essa medida, disse ele, vai ajudar a atrair novos empreendimentos, já que os processos para abrir empresas, por exemplo, na área de medicamentos e alimentos poderão ser agilizados. Dentro de alguns dias, informou, será marcada uma reunião para a entrega do anteprojeto de criação da Agência ao Governador Alcides Rodrigues. Marçal considerou o apoio uma vitória, porque o ex-secretário, Jorcelino Braga, foi de pronto, contrário à iniciativa, que foi abraçada pela FIEG, Fórum Empresarial de Anápolis, Conselho Regional de Farmácia, dentre outras instituições.

Candidato

Perguntado se vai se candidatar a algum cargo eletivo este ano, o ex-vereador e suplente de senador Max Lânio Gonzaga Jaime (PMDB) disse textualmente: “Sou candidato a pescar no Araguaia e a cuidar da minha vida profissional”. Então, tá. Max foi candidato a deputado em 2006 e saiu da campanha contrariado com a cúpula do PMDB que, em sua versão, o preteriu, em favor de outros candidatos. Ele chegou até a sair do partido, voltando tempos depois.

Resposta

A vereadora Miriam Garcia (PSDB) respondeu, na tribuna da Câmara Municipal, críticas de que estaria freqüentando os corredores da Administração Municipal. Disse ela que está no exercício do seu papel de trabalhar pelo povo, independe se o governante é do partido A ou B. Então fica assim...

Liberou

O vereador Fernando Cunha (PSDB) bem que tentou, mas, pelo visto, não conseguiu resistir à pressão e não obstruiu a tramitação do projeto da reforma administrativa, encaminhado ao Legislativo pelo Prefeito Pedro Sahium. O tucano gostaria de mais informações sobre os cargos comissionados que seriam criados.

Força

O ex-diretor e futuramente secretário do Meio Ambiente, Luiz Henrique, vai pilotar uma pasta turbinada e aliviar um pouco o peso do trabalho que hoje está nas costas do secretário Clodoveu Reis (Desenvolvimento Urbano Sustentável).

Não transfere

Adhemar Santillo, o manda-chuva do PMDB de Anápolis discorda do ex-senador Mauro Miranda quanto à reversão das pesquisas em Anápolis que dão vantagem a Marconi Perillo (PSDB) contra Íris Rezende (PMDB) na corrida sucessória. Mauro disse que o Prefeito Antônio Gomide (PT) vai ser o grande cabo eleitoral da campanha, por conta de seu bom desempenho e da boa aceitação que vem obtendo. Já Adhemar contesta frontalmente. Ele entende que o próprio Íris é que tem de modificar a estratégia e dar maior atenção para Anápolis. “Gomide não é o Lula”, afirmou Adhemar Santillo.

 
Autor: Claudius Britos



Anápolis precisa de maior representação!




O Jornal de Anápolis


POLÍTICA

Nilton Pereira


Câmara Federal: Surgem os nomes para representar Anápolis
Começam a surgir os nomes que pretendem representar o Município na corrida por uma vaga de deputado federal representando a região de Anápolis. Algumas novidades surpreendem

Em que pese o ceticismo de alguns, quanto à capacidade e, principalmente, a densidade eleitoral de determinados nomes que se apresentam como candidatos a candidatos a uma vaga de deputado federal, com a aproximação da data final para se indicarem, em convenção, os pretensos concorrentes, o quadro se afunila. Há quem afirme que a única candidatura consistente colocada, até agora, seria a do deputado federal Rubens Otoni, que vai tentar seu terceiro mandato, sempre pelo Partido dos Trabalhadores. Otoni, inclusive, esteve a ponto de concorrer a outro cargo (governador, vice-governador e senador), mas decidiu buscar a reeleição, depois de seguidas reuniões e encontros com suas bases de apoio.

Como novatos na disputa por uma vaga de deputado federal, a mídia se ocupa, atualmente de quatro a cinco nomes. A vereadora Mirian Garcia (PSDB), por exemplo, que, a princípio negava qualquer candidatura, decidiu por concorrer a uma vaga de deputada federal. Ela está no terceiro mandato na Câmara Municipal e, nas eleições passadas (2006) concorreu a uma cadeira na Assembleia Legislativa. Outro nome anunciado é o do vereador Domingos de Paula (Dominguinhos do Cedro), do PTB, ele que é estreante no parlamento, estando há um ano e meio exercendo o cargo. Surgiram, ainda, nos últimos dias, nomes como os do ex-vereador Gerson Fallacci, que já presidiu a Câmara Municipal, foi candidato a deputado estadual e que, agora, estaria pretendendo ser candidato a deputado federal.


Concorrentes

Na bolsa de probabilidades, como concorrentes à Câmara Federal, representando Anápolis, fala-se, ainda em nomes como o do radialista Claudimar Batista (PP), outro estreante na política e, também, do ex-prefeito Pedro Sahium (DEM), que ainda não teria se decidido por concorrer à Assembleia Legislativa, ou à Câmara Federal. O Democratas tem em Ronaldo Caiado, uma espécie de representante de Anápolis, pelo fato de ele haver nascido no Município, tendo aqui muitos familiares, embora seu domicílio eleitoral seja em outra região. Chama a atenção este ano, o fato de o PMDB, partido de longa tradição em Anápolis, não apresentar um candidato à Câmara Federal. Nas eleições passadas o PMDB apresentou o nome do então comerciante Wesley Silva, eleito, dois anos depois, vereador. Também, em 2006, o PTC, considerado uma espécie de extensão do PMDB, lançou o ex-deputado estadual Romualdo Santillo, para concorrer a uma vaga na Câmara Federal.

E, mesmo tendo a consciência de que um deputado federal é fator fundamental no carreamento de recursos para obras físicas e sociais para os municípios, os partidos políticos, em Anápolis, não cuidaram de preparar nomes que, efetivamente, poderiam deslanchar como “bons de voto”. Teme-se que sejam repetidos erros de eleições anteriores, quando Anápolis, apesar de contar, hoje, com mais de 220 mil eleitores, se resumir a, apenas, um deputado federal, quando, teoricamente, poderia contar com dois ou três parlamentares na Câmara dos Deputados, o que, por sinal, já ocorreu em tempos passados, quando o contingente eleitoral era bem menor que o de hoje.

Assim sendo, Anápolis que hoje conta, apenas com o deputado Rubens Otoni, que mesmo assim, obteve expressiva votação em outros municípios, não teria, a princípio, outro “puxador de votos”, que poderia, mesmo que hipoteticamente, garantir mais uma vaga na Câmara Federal. O que se questiona, por exemplo, é a capacidade estrutural das campanhas, principalmente recursos financeiros para o custeio das tais. Mas, em eleição, nada é impossível, ou improvável. Há muitos casos de candidatos, a princípio desconsiderados, ignorados ou preteridos que acabaram ganhando disputas contra outros considerados francos favoritos.


Autor: Nilton Pereira

PMDB: Copiando o PSDB!





OPINIÃO

Convenção do PMDB: cópia malfeita do PSDB

Willbor Júnior

Organizadores da convenção do PMDB classificaram o evento ocorrido no último sábado como “histórico”. O que aconteceu no Centro de Convenções realmente merece ser lembrado e analisado, principalmente pelas contradições. O candidato do PMDB, Iris Rezende, destacou em seu discurso que o principal problema de Goiás é a infraestrutura. Para quem se preocupa tanto com infraestrutura, os organizadores poderiam ter pelo menos organizado e montado um espaço para entrevistas. Membros da imprensa se acotovelaram e quase foram pisoteados no momento de ouvir o peemedebista.

O palco foi cópia descarada do modelo usado pelo PSDB no lançamento da pré-candidatura do senador Marconi Perillo. Os políticos estavam sentados em cadeiras dispostas nos degraus. Como o número de lideranças de peso era pequeno, coube a militantes do PT a honra de ficar no palco. Por falar em número, outra contradição. A organização informou que 10 mil pessoas estavam no Centro de Convenções. Quem conhece o espaço e esteve no local garante que não mais que duas mil pessoas marcaram presença. Pilhas de cadeiras ficaram encostadas nas paredes à espera de mais simpatizantes.

Em seu discurso, Iris apelou para emoção, mirou no passado e citou até Deus. O apelo às referências religiosas talvez seja pela falta de propostas. Desde que deixou a Prefeitura, o peemedebista está deslocado e não apresentou sequer um rabisco do plano de governo que pretende executar. Aliás, o governo estadual foi alvo de Iris. O que já pareceu até um início de namoro entre PMDB e Alcides, foi para o espaço com quatro palavras: “O governo está um desastre”, disse Iris Rezende. O candidato ainda havia dito que não iria atacar Alcides Rodrigues.

Nem a Celg escapou das contradições no evento do PMDB. O ex-prefeito disse estar indignado, pois a falência da empresa de energia trava o desenvolvimento do Estado. Interessante é que relatórios da CPI da Celg, instalada na Assembleia Legislativa, mostraram que a venda da usina de Cachoeira Dourada durante o governo do PMDB foi um dos principais motivos para a crise financeira da companhia.

A contradição maior vem agora. E merece atenção especial. As lideranças do PMDB são mestres em condenar as ações de Marconi Perillo na internet por meio das mídias digitais. E não é que o partido de Iris considerou a convenção de sábado “moderna” porque houve transmissão ao vivo na internet. O PSDB de Goiás já havia feito isso no lançamento da pré-candidatura de Marconi Perillo, no dia 7 de maio. E continua fazendo até durante reuniões comunitárias, encontros do senador com lideranças e debates com a população.

O PMDB também utilizou o Twitter para comentar os acontecimentos na convenção. Logo os “tradicionais”, que sempre chamaram Marconi de falso moderno por utilizar o microblog, resolveram se render e aderiram aoTwitter. A falta de traquejo com as mídias digitais na internet provocou equívoco. Anunciaram que Iris chegou ao Centro de Convenções acompanhado de “centenas de milhares de militantes”. No post seguinte, corrigiram para “centenas de militantes”. Quem presenciou a chegada de Iris garante que usar “centenas” é exagero.

Além disso, propagaram de forma mentirosa que mais de 500 pessoas restransmitiram a convenção pela internet. Tomei o cuidado de consultar um especialista e ele me disse que no máximo três pessoas usaram o expediente do plug in. Mais um embuste do que o PMDB tentou chamar de ingresso na "era tecnológica".

O PMDB, que acusa o PSDB de ser “falso moderno”, parece que resolveu copiar o partido tucano. Porém, não conseguiu executar os serviços com originalidade e, principalmente, com profissionalismo e eficiência. A convenção do PMDB foi simplesmente o reflexo do partido mal organizado e que parou no tempo.


Willbor Júnior é editor do blog Faxina Geral, do site Comunique-se

Marconi: Salário Escola!





POLÍTICA & JUSTIÇA


Salário Escola está no plano de governo, afirma Marconi
Pré-candidato tucano lamenta desestruturação do programa após sua saída do Palácio, mas garante reforçá-lo caso seja eleito no dia 3 de outubro

Da Redação

Com grande frequência, por onde o senador e pré-candidato a governador Marconi Perillo (PSDB) tem andado em Goiás as pessoas o abordam a respeito do programa Salário Escola, que ele implantou no início do seu primeiro governo, em 1999, e que beneficiava mais de 70 mil famílias carentes que mantinham seus filhos entre 7 e 17 anos na escola. Era um grande instrumento visando a erradicação da evasão escolar na rede estadual e, também, a eliminação do trabalho infantil, além de promoção social de adolescentes, sempre em fase de intensa busca por um futuro melhor.

Marconi costuma agradecer a lembrança e afirma que esse programa continua em sua meta de trabalho e fará parte também do seu plano de governo, pois reforça a atenção às crianças em idade escolar, evitando que se desviem para os caminhos da destruição da família. Ele lamenta que o programa tenha sido desestruturado e interrompido pelo atual governo, que mostra imensa falta de sensibilidade com uma questão social de extrema importância e que certamente balizará o futuro de nossos jovens, que têm cada vez mais se enveredado por caminhos de dificuldades.

Segundo Marconi, o Salário Escola implantado por ele em Goiás serviu de modelo para o governo federal implantar o Bolsa Escola. Um dos benefícios desse programa, observa ele, era a grande diminuição da evasão escolar, porque aos pais interessava manter o filho na escola, e só assim a família recebia o benefício. O índice de evasão escolar no período de vigência do programa Salário Escola em Goiás caiu para 0,2%, um dos mais baixos do mundo.


Emancipação

O Salário Escola não se limitava a apenas doar o dinheiro. Paralelamente, era desenvolvido o programa de emancipação social Ensinando a Pescar, que capacitava e qualificava profissionalmente pais, mães e adolescentes das famílias incluídas no programa. Eram promovidos cursos em vários ramos de atividade, e, muitas vezes, feitos os encaminhamentos ao mercado de trabalho. Para isso, a Secretaria de Educação firmava parceria com instituições públicas e privadas e organizações não-governamentais em todo o Estado.

Marconi se emociona com a lembrança que as famílias têm dos benefícios advindos do programa Salário Escola. Aproveita, em seus discursos, para enfatizar os benefícios advindos do programa. “Em nome da dignidade e dos direitos da cidadania, procuramos em nosso governo ir ao encontro de um compromisso prioritário: a promoção social do cidadão. O Salário Escola não era instrumento de demagogia, muito menos de exploração eleitoreira, e muito menos ainda recurso imediatista de marketing da administração. Era, no sentido exato do termo, uma excelente alternativa de inclusão social”, sentencia.

Anápolis: Mostra de Teatro

Anápolis: cultura!


ORDEM DE APRESENTAÇÃO DO 23º ENCOA/2010


01/07 a 04/07/2010

INÍCIO ÁS 20HS - TEATRO MUNICIPAL


Dia 01/07/2010 – Quinta-feira
- Abertura Com a Orquestra Sinfônica Jovem de Goiás


Dia 02/07/2010 – Sexta-feira
1º - Coro Pequenas Vozes – Goiânia Goiás

2º - Madrigal Bel Canto – Anápolis – Goiás

3º - Coro Emcanto da EMBRAPA – Brasília – DF

4º - Coro Annápolis Soul/Coro Br Soul – Goiânia - Goiás

5º - Coro Libre Cantare – Itabirito - MG


Dia 03/07/2010 – Sábado

1º - Coro Evangélico de Brasília – Brasília – DF

2º - Coro Libre Cantare – Itabirito – MG

3º- Coro do IFG – Goiânia – GO

4º - Coro de Brasília – DF


Dia 04/07/2010 – Domingo

1º - Coro Cênico Ciranda da Arte – Goiânia – GO

2º - Coro Mirim da Escola de Música de Anápolis

3º - Coro de Câmara de Brasília – DF

4º - Octeto de Professores Veiga Valle – Goiânia - GO



Caio Rodrigues
Diretoria Municipal de Cultura de Anápolis

GIRANDO






GIRO



Jarbas Rodrigues

Aliança entre PSDB e DEM volta ao campo da incerteza

A aliança entre PSDB e DEM em Goiás, depois de praticamente certa, ontem era dada como dúvida entre as principais lideranças dos dois partidos que, amanhã, realizam suas convenções. O motivo seria o fato do deputado e presidente do DEM, Ronaldo Caiado, indicar o advogado José Eliton Júnior para a vice do senador Marconi Perillo (PSDB). Os tucanos desconfiam do real propósito de Caiado. "Até o fim de semana a aliança era certa, mas as dúvidas voltaram. Mas acreditamos que a aliança será oficializada", diz um membro do QG marconista, que evita comentar o assunto. Integrante da ala no DEM que defende aliança com o PSDB, e vice que a cúpula tucana defende para Marconi, Vilmar Rocha diz estar confiante que "a vontade majoritária do seu partido" será respeitada na convenção. "Uma vaga para o Senado é legítima do senador Demóstenes Torres. Caso a vice seja do DEM, ótimo. Mas cabe apenas a Marconi decidir. O vice precisa representar o partido e não ser uma imposição", enfatiza.

Boa notícia

A FAB vai transferir para a Base Aérea de Anápolis seu centro de manutenção de aeronaves, que hoje fica em São Paulo, no Campo de Marte. O centro emprega 2,5 mil pessoas e atrairá dezenas de empresas.

Novos cortes

Hoje tem reunião da mesa diretora com a presidência da Câmara de Goiânia para tratar, entre outras questões, de cortes em gratificações e comissões de servidores.

A propósito...

O recesso na Câmara de Goiânia está previsto para começar na quinta-feira, mas ainda é incerto por conta do projeto de reajuste salarial dos professores da rede municipal.

Vice petista

Como a vice de Iris Rezende deve ser do PT, há quem acredite que o deputado Rubens Otoni indicará Valdi Camarcio. O PMDB prefere Marina Sant´Anna, mas seu grupo já emplacou Pedro Wilson para o Senado.

Só que...

Embora Iris tenha descartado aliança com o DEM, há quem no PMDB não tenha levado a sério. Em conversas com Demóstenes Torres, o peemedebista teria proposto sua vice e uma vaga ao Senado.

Iris ou Vanderlan?

É esperada para hoje em Brasília reunião do ministro Carlos Lupi com a direção do PDT goiano.

Entorno 2010

Os prefeitos Geraldo Messias (Águas Lindas) e Pedro Ivo (Formosa) votaram na convenção do PP pela aliança com PR. Já o de Piracanjuba, Ricardo de Pina, diz que 32 colegas do PP vão estar com o PSDB.

Fomentar divisão

Ao visitar ontem o deputado Roberto Balestra, o senador Marconi também está de olho no grupo dissidente do PP.

Alma lavada

Balestra não escondeu abatimento, mas disse para o senador que estava de alma lavada. Fez pesadas críticas ao deputado Sandes Júnior.

Jogada

Tucanos acreditam que Balestra perdeu para o grupo governista quando foi presidir a convenção do PP, enquanto a cúpula alcidista atuava nos bastidores.

100% oposição

Os tucanos voltaram a bombardear o governo Alcides. A meta é colar a imagem de Vanderlan Cardoso no governador.

Quem vai pagar?

Presidente da Câmara de Goiânia, Francisco Júnior (PMDB) abriu investigação para apurar responsáveis na convenção do PP pela quebra de vidros da porta da Casa e invasão do gabinete do vereador Iram saraiva (PMDB).

PSDB trabalha para ganhar dissidentes

Os tucanos trabalham para ganhar o apoio de dissidentes de partidos que não vão estar na coligação de Marconi Perillo. "O governo pode ter ganhado na convenção do PP, mas não vai levar. Pepistas estão livres agora para trabalhar conosco", diz o deputado Leonardo Vilela, presidente do PSDB goiano. Sobre formação da chapa majoritária, diz que a decisão cabe exclusivamente ao senador Marconi.


PERGUNTA PARA:Sandro Mabel, deputado do PR

Qual será o impacto de um racha no PP na candidatura de Vanderlan Cardoso?

Vanderlan conseguiu sua primeira grande vitória: oficializar sua candidatura diante dos ataques do PSDB. Com o resultado da convenção do PP, onde tivemos ampla maioria, vamos buscar apoio da minoria no PP que defendia outra aliança. Além disso, temos de confirmar PSB e PDT na nossa chapa e aguardar a convenção do DEM.


ARREMATE

Casa cheia - Tucanos prometem casa cheia amanhã na festa-convenção no Goiânia Arena, com 10 mil militantes. Lotar o ginásio virou questão de honra para o partido.

Enquete - Pré-candidato a deputado federal, Armando Vergílio (PMN) colocou enquete no seu site e Twitter para definir hoje o número que vai registrar como candidato amanhã em convenção.

Guerra - Do pepista Renato Bernardes, sobre a tumultuada convenção do partido no domingo: "Parece que estávamos em plena guerra do Afeganistão. Mas ganhamos."

Bafafá - Vice-presidente da Câmara de Goiânia, Anselmo Pereira (PSDB) enviou à Corregedoria da Casa a briga entre os vereadores Djalma Araújo (PT) e Bruno Peixoto (PMDB) semana passada no Paço.

Conciliar - Paulo Teles (TJ) inaugura amanhã na capital novo Centro de Pacificação Social, que busca evitar que pequenas brigas ou desacordos pessoais se transformem em processos judiciais.

Aparecida - Na quinta-feira, Paulo Teles (TJ) inaugura com o prefeito Maguito Vilela o Centro de Pacificação Social de Aparecida.

Guarinos - A organização da festa religiosa à Nossa Senhora da Penha prevê 300 mil pessoas entre os dias 1º e 4 de julho.

EDITORIAL






Tragédia social

O Popular

Alarmante questão social, o envolvimento de jovens com o tráfico e o consumo de drogas em Goiânia cresceu em espantosa escala em Goiânia nos últimos anos, atingindo nível trágico.

A sociedade precisa mobilizar-se para lançar todos os meios possíveis de ação contra essa tragédia. A população tem de se unir e cobrar das autoridades o combate eficaz que está faltando. A cidade não pode continuar à mercê dos traficantes que induzem crianças, adolescentes e jovens a tomar o caminho da perdição.

O titular do Juizado da Infância e da Juventude de Goiânia, juiz Maurício Porfírio Rosa, lamenta falta de eficiente ação governamental de combate ao tráfico de entorpecentes. Tem razão, pois a expansão desse crime, considerado hediondo pelo Código Penal Brasileiro, teve espantosa velocidade nos últimos anos. O drama de tantas famílias não vai se reduzir enquanto uma ação mais determinada não for deflagrada.

O Poder Judiciário precisa proporcionar também uma contribuição melhor à causa de combate ao tráfico de drogas, colocando agilidade nas ações contra os traficantes, e exercendo a sua parte, nesta questão, com o necessário rigor. Os traficante se sentem impunes.

O Juizado da Infância e da Juventude e integrantes da Associação Comercial e Industrial de Goiás (Acieg) estão propondo que seja fundada em Goiânia uma instituição para prestar assistência a menores de idade dependentes de droga. Está aí uma idéia que deveria receber total apoio.

segunda-feira, 28 de junho de 2010

REPORTAGEM






ANÁPOLIS

POLÍTICA

Fernando Cunha Neto pode peitar Rubens Otoni
Estratégia de Marconi Perillo para reforçar seu palanque na cidade seria colocar o jovem tucano para disputar a Câmara dos Deputados

CEZAR SANTOS

O senador Marconi Perillo, candidato tucano ao governo, goza de imenso prestígio em Anápolis. Não foi à toa que ele obteve na cidade o mais expressivo porcentual de votos no Estado na campanha de 2006 para o Senado, com mais de 135 mil sufrágios, praticamente 90% dos votos válidos. Mesmo assim, o tucano não deita em berço esplêndido e quer se assegurar de ter um palanque forte na cidade comandada pelo prefeito petista Antônio Gomide, que vem fazendo uma administração elogiada até por quem deveria criticá-lo por dever de ofício partidário.

Gomide, pela habilidade política e alto reconhecimento popular de sua gestão, pode causar um estrago considerável no prestígio marconista, influenciando votos para o peemedebista Iris Rezende, da chapa PMDB-PT. Marconi pode ter o vereador Fernando Cunha Neto como candidato a deputado federal. O jovem líder tucano, única voz de oposição a Antônio Gomide na Câmara de Vereadores, tem potencial para a disputa contra Rubens Otoni.

Fernando Cunha Neto diz que topa a parada. “Há muito tempo Marconi vem me convocando a disputar a Câmara dos Deputados. Estamos conversando muito sobre isso e está praticamente certo, só faltando o aval do meu avô.” Certamente que o aval do decano Fernando Cunha, um dos principais aliados e conselheiros políticos de Marconi, não deve ser difícil. “Se meu avô concordar eu aceito o desafio. Anápolis até agora só tem Rubens Otoni como candidato a deputado federal. O PSDB pode apresentar alternativa para a população e Marconi precisa de palanque forte. Posso ser o nome de Marconi a federal em Anápolis.”

A candidatura de Fernando Cunha Neto a deputado federal pode dar uma sacudida na candidatura do petista Rubens Otoni, tirando votos preciosos na cidade. Otoni teve um quarto dos votos válidos dos anapolinos em 2006, com mais de 38 mil sufrágios. Analistas políticos consideram o petista virtualmente reeleito por causa da grande visibilidade conquistada nos últimos anos na condição de principal interlocutor de Lula em Goiás. Mas Fernando Cunha Neto acredita que pode beliscar uma fatia razoável desse eleitorado otonista.

O nome tucano inicialmente colocado para disputar a Câmara era o da vereadora Miriam Garcia, mas Fernando Neto lembra que ela se colocou como alternativa por falta de opções do partido naquele momento. “Mas a vereadora Miriam retira sua candidatura se eu sair mesmo a federal. Não tem problema, ela sempre foi muito aberta quanto a isso e abre mão da candidatura.”

Tranquilidade

As convenções já começaram. O PMDB de Iris, que vai se coligar com o PT, realizou sua convenção neste sábado, 26. O PR-PP fazem a sua neste domingo, 27. E o PSDB de Marconi Perillo marcou sua convenção para quarta-feira, 30. Em que pese esse momento, o ambiente político em Anápolis está tranquilo. “Tranquilo até demais. Nem parece que estamos num momento de pré-convenções e convenções partidárias. Está todo mundo esperando para saber quem fica com quem e começar as negociações políticas aqui”, diz Fernando Cunha Neto.

Essa calmaria teria a ver com o a administração aprovada de Antônio Gomide, um político conciliador que tem em sua equipe até nomes do adversário DEM? “Não é isso, acontece que os vereadores na Câmara estão bem definidos em suas posições, cada um tem seu lado. O pessoal do PP e do PR é tudo marconista, só que ninguém se manifesta agora por que evidentemente pode haver retaliação, eles têm medo de divulgar”, acredita o jovem tucano.

Fernando Cunha diz ainda que o pessoal do PTB, três vereadores, também são Marconi. “Um do PSB participou de encontro com o senador. O Mauro Severiano, do PDT, é marconista e já se manifestou que estará com Marconi independentemente do partido. Já os dois vereadores do PMDB e a do PT estão bem definidos com o candidato deles ao governo, Íris Rezende. Então, com as posições definidas, o clima é de calmaria.”

O tucano acredita que o DEM vai marchar com Marconi. “Não tenho dúvida nenhuma quanto a isso. E a vaga de vice de Marconi, no meu entendimento e pelo que tenho observado, é do deputado federal Roberto Balestra (PP). Numa reunião, espécie de pré-convenção do PP na casa do Balestra, que alguns pepistas antigos dizem que não valeu nada, mas eu acho que valeu muito, teve a presença de 30 prefeitos do PP comparecendo. E a maioria foi a favor da união com Marconi. E aí se esvazia muito a candidatura do Vanderlan Cardoso, nessa terceira via, que em minha opinião nunca existiu de fato.”

“PT de Anápolis convive bem com todos os partidos”

Quem também atesta o clima de tranquilidade em Anápolis é o presidente municipal do PT, Antônio Júlio. Ele lembra que o partido está concentrado nas candidaturas de Rubens Otoni a deputado federal, da vereadora Dinamélia Rabêlo a estadual e do peemedebista Iris Rezende a governador. “E da Dilma Rousseff a presidente”, faz questão de lembrar.

Júlio não acredita na vinda do DEM para a coligação PMDB-PT. “Acho muito difícil. O DEM deve ir com o PSDB mesmo, até por uma questão de linha, de ideologia, e já há uma aliança nacional entre eles.” Mas a união com o DEM de Anápolis é um fato. Júlio diz que a militância petista não opõe nenhum obstáculo, por exemplo, ao fato de ter democratas no primeiro escalão do prefeito Antônio Gomide.

“Nossa convivência é tranquila. O DEM nos ajuda a governar, nós olhamos muito a parte técnica. Por isso não temos nenhuma dificuldade. Aliás, o PT de Anápolis tem boa convivência com todos os partidos. Isso reflete a característica do prefeito e do deputado Rubens Otoni, pessoas conciliadoras. Somos um grupo de diálogo, o PT pra Vencer. Sabemos que não governamos sozinhos”, diz o presidente do PT?de Anápolis.

EDUCAÇÃO

Cidade ganha ‘fábrica’ de mão de obra qualificada
Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia inicia atividades com 120 alunos em cursos de nível médio e superior, formatados de acordo com as necessidades do município

CEZAR SANTOS

Oportunidade de qualificação em cursos que as empresas sediadas em Anápolis e região precisam. Essa é uma nova realidade para a população anapolina, principalmente aquela mais carente, que muitas vezes não tem como completar seus estudos de forma convencional e se vê, assim, alijada de melhores condições no mercado de trabalho. Na semana passada o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFG) de Anápolis promoveu as aulas inaugurais, marcando o início das atividades. O IFG forma alunos em cursos adequados à realidade regional, constituindo-se numa espécie de "fábrica de mão de obra qualificada".

O início das atividades foi uma autêntica festa, com apresentações culturais e os alunos sendo recepcionados pelo reitor do Ifet Goiás, Paulo Cesar Pereira, o diretor do IFG de Anápolis, Paulo Francinete, o prefeito Antônio Gomide (PT), o deputado federal Rubens Otoni (PT), e o presidente da Câmara de Vereadores, Sírio Miguel (PSB), entre outras autoridades.

São 120 alunos que iniciaram seus estudos em dois cursos superiores (licenciatura em Química e de Tecnologia em Logística); quatro cursos técnicos integrados em Edificações, Informática para Internet, Química e Secretaria Escolar; um curso técnico subsequente em Edificações e um na modalidade de educação de jovens e adultos (Proeja) - Técnico em Transporte de Carga.

O entusiasmo dos alunos é total, como é o caso de Alzira Nunes Cintra, de 38 anos, moradora no Bairro Nações Unidas, aluna do curso de técnico em transporte de cargas. Ele vislumbra novas oportunidades profissionais após a formação. "Em Anápolis, principalmente no Daia, há poucos profissionais nessa área e as empresas buscam fora. Então eu e meus colegas de turma estamos animados. É uma nova oportunidade no mercado de trabalho que está se abrindo para nós."

O prefeito Antônio Gomide ressaltou a importância do Instituto para Anápolis, para Goiás e para todo o País. "O ensino oferecido aqui fortalece nosso potencial econômico", disse. Para o prefeito a instituição de ensino vai permitir muito mais que educação técnica, sendo um espaço para formação de cidadão preparado para a sociedade contemporânea. "Valeu acreditar que as cidades pólos, como Anápolis, têm condições de oferecer educação pública federal de qualidade", apontou Antônio Gomide. De acordo com ele, o início das aulas do IFG representa um grande salto de desenvolvimento para o município.

O diretor do câmpus, engenheiro Paulo Francinete, agradeceu o empenho da Prefeitura de Anápolis, em concretizar a obra. Lembrou que a área foi doada pela municipalidade, bem como a terraplanagem e o cercamento. Uma das mais vistosas obras do governo federal em Goiás, a unidade tem 10 mil metros de área construída em terreno de 60 mil metros quadrados. A sede tem auditório, área administrativa, biblioteca, salas para aulas teóricas, núcleo pedagógico, anfiteatro, laboratórios de informática, ciência, controle e processos industriais, além de estacionamento interno e externo e pátio coberto. Segundo Paulo Francinete, até o final deste ano mais de 360 alunos estarão frequentando o câmpus. Ele observa que os cursos disponibilizados no IFG de Anápolis buscam formar mão de obra para atender a demanda das empresas da cidade, notadamente as do Distrito Agroindustrial de Anápolis, o maior polo industrial do Centro-Oeste brasileiro.

Já está aberto o processo seletivo para as próximas turmas e quem quiser mais informações pode acessar o site www.ifg.edu.br/selecao ou o fone do Centro de Seleção do IFG: 62 3212-7812

Curtas

Qualificação

A Prefeitura de Anápolis deu início, na quarta-feira, 23, ao Projovem Trabalhador - Programa Nacional de Inclusão de Jovens, em solenidade no Teatro Municipal, com a presença do prefeito Antônio Gomide e de outras autoridades municipais, estaduais e do Ministério do Trabalho e Emprego, além do presidente da Câmara de Vereadores, Sírio Miguel (PSB). O programa é executado pela Prefeitura, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social, e visa capacitar pessoas com idade entre 18 e 29 anos, à procura de um espaço no mercado de trabalho. Cerca de mil jovens em Anápolis efetivaram as suas inscrições em cursos em três áreas: Beleza e Estética, Alimentação e Turismo/ Hospitalidade. As aulas já tiveram início.

Aniversário

Anápolis vive clima de festa. A Prefeitura lança nesta terça-feira, 29, o calendário de festividades dos 103 anos da cidade. Será às 19 horas, no Teatro Municipal, com apresentação da Orquestra Sinfônica Jovem. Coordenador das ações de aniversário, o diretor de Cultura Augusto César Almeida, adianta que todos os setores da administração municipal realizarão atividades alusivas à data. Na extensa programação estão previstas a 23ª edição do Encontro Nacional de Coros de Anápolis (Encoa), a inauguração das subprefeituras dos quatro distritos, o lançamento de asfalto de mais de seis bairros e outras 20 ações. O encerramento será dia 31 de julho, data do aniversário, com o tradicional desfile cívico-militar.

Marconi: prestígio com funcionários públicos!






POLÍTICA & JUSTIÇA


Servidores do Fisco de Goiás prestam homenagem a Marconi

O senador Marconi Perillo (PSDB) é o mais novo sócio honorário da Associação dos Funcionários do Fisco do Estado de Goiás (Affego). Marconi participou (sábado 26) de um jantar, para aproximadamente mil pessoas, em comemoração aos 48 anos da associação, onde recebeu o Título de Sócio Honorário da Affego e a carteira de membro da entidade pelos relevantes serviços prestados à sociedade goiana, aos servidores públicos, em geral, e principalmente, ao fisco.

O senador defendeu em seu discurso a valorização e a importância do funcionalismo público para a sociedade e o avanço do Estado. Destacou também a importância dos fiscais e auditores e o respeito que tem e sempre teve pelos funcionários públicos, ativos e inativos, afirmando que os funcionários eram seus "colegas de trabalho" e que "graças a esse trabalho conjunto, nós conseguimos fazer Goiás avançar", disse.

"Marconi fez a maior rede de proteção social do País, que hoje tem tantos frutos, os programas sociais. Até o presidente da República usou as ideias de Marconi, ao criar o Bolsa Família, e hoje tenta combater o incombatível. Tive oportunidade de participar, com Marconi, da criação do Vapt Vupt, o melhor serviço de atendimento já criado", disse o presidente da Affego, Admar Oto.

Presidente Sindicato dos Funcionários do Fisco do Estado (Sindfisco), Rogério Cândido defendeu que “ninguém tem dúvida de que o senador é a maior expressão política deste Estado nos últimos anos. "Não tenho dúvida nenhuma dos avanços que tivemos a nível nacional e o prestígio que tivemos", disse Rogério. "Esta homenagem me alegra, estimula e me enche de emoção e orgulho", disse o senador destacando que "os fiscais, os auditores e todos os que trabalham na Secretaria da Fazenda foram, ao longo da história, não só fundamentais, mas indispensáveis para que Goiás chegasse ao nível de desenvolvimento que chegou."

Segundo o senador, as obras e serviços sociais prestados à população dependeram, em grande parte, dos fiscais e auditores. "Do muito do que foi feito, nada disso seria possível sem a participação dos senhores. Os seis milhões de goianos devem muito aos fiscais e auditores, ativos e inativos". O senador relembrou os desafios que encontrou no início de seu primeiro governo, em 1999, quando recebeu o Estado com a maior dívida proporcional do País. E ressaltou que uma das prioridades era a valorização e assistência aos funcionários públicos, e revelou que tomou duas decisões já no primeiro ano de governo.

A primeira era pagar o 13º Salário no mês de aniversário do funcionário. "Nós tomamos a decisão, no primeiro ano, a partir de julho de 1999, de começar a pagar o 13º no mês do aniversário do funcionário. E isso nunca mais foi mudado, virou tradição, cultura. Muitos desafios foram vencidos. O pagamento do 13º, até 1998, era comum ser parcelado ou recebido por volta do mês de março ou abril do ano seguinte". A outra decisão, no final de 2001, foi viabilizar duas receitas para pagar os funcionários para o mês trabalhado. "Tomei a decisão de pagar rigorosamente em dia os salários. Antes era pago após o dia 10 do mês seguinte".

O senador destacou sua boa relação com o funcionalismo. "Nunca considerei funcionário público como subalterno ao governador, sempre os considerei como meus colegas. Na época em que fui governador, eram meus colegas de trabalho e, graças a esse trabalho conjunto, conseguimos fazer Goiás avançar. Não procurei assumir, como governador, a liderança vertical, de cima para baixo. Exerci a liderança de forma horizontal, respeitando a todos, principalmente, a todos os meus colegas".

Aos fiscais e auditores presentes no evento, Marconi disse que o "tratamento a funcionário, fiscais, auditores, ativos ou inativos não deve ter diferenciação, tem de ser um tratamento igualitário". Participou do evento, ao lado de Marconi, o ex-superintendente da Superintendência de Seguros Privados (Susepe) e pré-candidato a deputado federal, pelo PMN, Armando Vergílio.

GOIANÁPOLIS

O senador visitou a tradicional Festa do Tomate de Goianápolis na noite de sábado. Acompanhado do prefeito Jeová Leite Cardoso (PP) Marconi percorreu todas as dependências do recinto e assistiu a shows com duplas sertanejas locais. Durante sua estada na festa, o senador ainda esteve acompanhado do deputado Marlúcio Pereira, do prefeito de Terezópolis, Wilton Pereira dos Santos, além de vereadores e lideranças de Goianápolis e região. No palco onde aconteciam os shows o prefeito Jeová fez saudação especial a Marconi. "Marconi é um amigo da nossa cidade e a quem devemos muito por tudo o que fez e tem feito por nós. Nosso povo te admira e te abraça".

Marconi: trabalho intenso!

PORTAL MARCONI SENADOR
25 de junho de 2010



Marconi realiza giro pelo interior

O senador Marconi Perilo recebeu duas homenagens, na manhã de quinta-feira (25) em São Miguel do Araguaia, no Norte goiano. A primeira, da Câmara Municipal e a segunda de professores e alunos da unidade local da UEG. Na Câmara, Marconi foi homenageado com o Título de Cidadania e na UEG, com o título de Mérito Acadêmico Flor do Ipê.

Marconi chegou a São Miguel por volta das 9h30. Foi recepcionado no aeroporto pelo prefeito, Ademir Cardoso dos Santos (PP), e diversas autoridades locais e da região. Na Câmara, receberam títulos de Cidadania ele, o ex-deputado estadual Julio da Retífica e o sargento João Domingos de Andrade.

Do proponente do título, vereador Marcos Abrão (PTB), o senador ouviu elogios à sua atuação no Senado. “Se tivéssemos no País políticos da sua estatura moral, o Brasil seria muito melhor”, declarou Abrão.

O prefeito Ademir Cardoso, comprometido com outra candidatura ao governo, fez questão de cumprimentar Marconi e deixar clara sua posição caso haja segundo turno nas eleições deste ano. "Se o candidato que estou apoiando não for para o segundo turno, estarei rasgando a botina nas ruas de São Miguel do Araguaia a seu favor", adiantou.

Marconi agradeceu o título recordando as obras que realizou por São Miguel e a região Norte do Estado. Relacionou também as obras que serão colocadas no programa de governo do PSDB em benefício do município. Por fim disse que tem compromisso com o municipalismo. "Sempre governei com os prefeitos, ouvindo sugestões e realizando as obras que atendem as necessidades das comunidades. Continuarei assim caso seja novamente eleito governador."

Na unidade da UEG, implantada em São Miguel do Araguaia em abril de 1999, primeiro ano do primeiro governo de Marconi, o senador recebeu homenagem "pelos relevantes serviços prestados à educação do ensino superior para o Estado de Goiás, fortalecendo assim a democracia, provocando uma transformação econômica, social e desenvolvimentista para São Miguel do Araguaia, Vale do Araguaia e todo o Estado".

Saudado pelo diretor da unidade, professor Ricardo Basílio, o senador foi lembrado como o homem público que revolucionou o ensino de Goiás. “Esperamos que o senhor assuma o governo e conduza Goiás ao sucesso. Sabemos da sua competência e temos certeza que o Estado só tem a ganhar com a sua volta”, declarou o diretor.

Ricardo Basílio acusou que as unidades da UEG em todo o Estado, e de forma especial a de São Miguel do Araguaia, "estão esquecidas neste governo". Lamentou que o atual governo do Estado não tenha cumprido o resultado da licitação deixada pronta pelo ex-governador Marconi Perillo para a construção da nova sede da unidade.

O diretor da UEG recordou que a Assembléia Legislativa havia aprovado, ainda no governo de Marconi, por iniciativa do ex-deputado Afreni Gonçalves, emenda que destinava 2% do orçamento do Estado para a UEG. "Desde que o governo que aí está assumiu, estamos somando o quanto que a unidade da UEG de São Miguel tem perdido anualmente em recursos para as obras da nova sede. Se o governo estivesse cumprindo a lei, repassando os recursos para a UEG, já teríamos terminado a obra. Todavia, até hoje nenhum centavo foi repassado e, assim, as obras nunca foram iniciadas", lamentou.

Marconi informou aos professores, alunos, diretores e servidores da UEG de São Miguel do Araguaia que tem discutido um choque de gestão na universidade. "Não tenho dúvida de que o projeto do PSDB e partidos aliados vai consolidar de vez a UEG. Construí mais de 30 unidades da UEG. Queremos dar a ela autonomia universitária e financeira, promover concursos para contratar mais professores, construir mais unidades, equipar laboratórios e, mais importante e fundamental, elevar para 3% a participação da UEG no orçamento do Estado".

Marconi disse que todos os anos tem colocado emendas no orçamento da União em favor da UEG. Foi lembrado pelo diretor Ricardo Basílio que uma dessas emendas propiciou a aquisição de mil computadores para a universidade. "Agora queremos consolidar todos os marcos legais da UEG. Só assim poderemos garantir que os próximos governos não abandonem a universidade como estamos vendo hoje", salientou.

Por fim, o senador garantiu que se até o final deste ano o governo do Estado não construir a sede própria da UEG de São Miguel, seu provável futuro governo vai fazê-lo. "E o faremos no primeiro ano do nosso governo", comprometeu-se.

Além dos prefeitos de Porangatu, José Oswaldo, de Amaralina, Dasio Marques, e de Crixás, Olímpio César, estiveram em São Miguel do Araguaia para as homenagens a Marconi Perillo ex-prefeitos, presidentes de Câmaras Municipais, vereadores e demais lideranças de vários partidos de toda a região. Marconi estava acompanhado dos deputados federais João Campos, Leonardo Vilela e Carlos Alberto Leréia, dos ex-deputados estaduais Júlio da Retífica e Afrêni Gonçalves e pré-candidatos a deputado representantes da região Norte.

Jovens

A uma plateia jovem da cidade de Iporá, ávida por conhecimento e que perguntava como tinha encontrado o governo quando assumiu em 1999, Marconi fez explanação histórica, se atendo mais à questão das instituições financeiras do Estado, que deixaram de existir para financiar o desenvolvimento de Goiás. A explicação, claro, passou pelas condições das dívidas imediatas que teve de quitar, como duas folhas e meia de salários atrasados, o Ipasgo com mais de 90 dias em greve, o Hospital Geral de Goiânia fechado, além de concursos das áreas da saúde e da educação sem homologação e correndo risco de serem cancelados na Justiça.

Marconi falou que Goiás tinha dívida que consumiria 3,4 anos de arrecadação para pagá-la, enquanto que a Secretaria do Tesouro Nacional havia fixado o teto em 2,1 anos. "O governo tinha perdido suas principais instituições financeiras, a Caixego, o Banco de Desenvolvimento e o Banco do Estado de Goiás."