segunda-feira, 7 de junho de 2010

Marconi: Íris só ataca!






OPINIÃO





Daniel Goulart

"Sem propostas, Iris ataca e agride Marconi" 
7/6/2010 

Em seus artigos dominicais no Diário da Manhã, o ex-prefeito Iris Rezende insiste nos ataques e agressões ao senador Marconi Perillo. Iris, candidato a governador, ainda não apresentou nenhuma proposta para o futuro de Goiás e segue obcecado com a figura de Marconi, a quem tenta atribuir mentiras e falácias que causam o repúdio da população goiana.

Prova é que as pesquisas continuam mostrando o crescimento da candidatura de Marconi e o enfraquecimento da postulação de Iris. Creio ser essa uma reação natural do eleitorado goiano, que não aceita a campanha de baixo nível e não tolera candidatos que substituem ideias por ofensas pessoais, tal qual faz Iris no presente momento.

Iris amontoa no seu artigo mentiras que soam ainda pior porque lançadas por um senhor vetusto, com mais de 55 anos de carreira política, que deveria ser um exemplo de conduta moral e ética para todos os goianos. Mas, não. Ele não se contem na ânsia de vingar a histórica derrota eleitoral de 1998, quando um jovem destemido e ousado colocou ponto final em 16 anos na ditadura personalista que Iris implantou em Goiás.

Para Iris, segundo o seu artigo de ontem no DM, Goiás deixou de se desenvolver exatamente a partir de 1998, quando ele foi apeado do poder. Ele diz, por exemplo, que nenhum investimento empresarial de peso foi realizado de lá para cá no nosso Estado. Nem haveria necessidade de citar aqui fatos concretos como a vinda da Perdigão e da Hyundai, a ampliação da Mitsubishi e a verticalização da produção de fosfato em Catalão para provar que Iris mente.

Esses investimentos, atraídos pelo governo Marconi, simbolizam as mais de 1000 empresas que se instalaram em Goiás desde 1998, produzindo impostos, riquezas e principalmente empregos para o nosso povo. Iris menciona também outra grande mentira, que ele não criou, mas gosta de propagar: o fantasioso déficit de R$ 100 milhões que o atual governo teria herdado. A respeito dessa falsidade criminosa, inventada para justificar a inoperância da gestão que para Goiás felizmente está chegando ao fim, convido Iris a ler o primeiro relatório do Tribunal de Contas do Estado entregue há poucos dias à CPI do Endividamento, na Assembleia Legislativa.

Lá Iris encontrará uma avaliação, ano a ano, desde 1991, das contas estaduais, com uma conclusão: foi o governo Marconi que, a partir de 1999, promoveu um vigoroso ajuste nas finanças do Estado que foram entregues em petição de miséria pelas administrações peemedebistas. Dentre elas, segundo o relatório do TCE, destaca-se o período de governo do próprio Iris Rezende, este, sim, recordista na criação de um déficit de 145% no balanço entre a receita e as despesas do Estado naquela época (1991-1994).

Mostre-nos Iris em qual documento se baseia para afirmar que o governo Marconi maculou, de alguma forma, a situação financeira do Estado. Esse desafio já foi colocado a ele, que não respondeu, nem mesmo nos processos por calúnia, injúria e difamação a que está respondendo na Justiça, por iniciativa do senador Marconi Perillo.

Do alto da sua arrogância, em seu artigo no DM, Iris nos ensina a "lição" de que a humildade é uma virtude dispensável e que ele é a única pessoa qualificada para governar Goiás nos próximos anos. Usa uma expressão esquisita, “gerentão”, para se afirmar como o homem que vai recuperar a credibilidade do Estado e liderar os goianos na caminhada para o paraíso.

É lógico que não faz referências aos escândalos que pontuaram as suas administrações. É claro que não fala no fechamento das instituições financeiras do Estado - BEG, BD e Caixego - durante os governos do PMDB, este talvez o maior crime já praticado contra o povo goiano, ao lado da destruição do nosso patrimônio elétrico, com a venda irresponsável das usinas de Corumbá e Cachoeira Dourada também nos governos do PMDB (Iris e MaguitoVilela).

Para completar, Iris não conta que tem contra si, no Ministério Público Estadual, vários inquéritos que apuram os volumosos gastos com publicidade que fez na Prefeitura, no afã de construir uma imagem positiva para a sua candidatura a governador. O Ministério Público Estadual descobriu e está investigando as despesas que Iris autorizou com propaganda da Prefeitura de Goiânia em outros municípios, a exemplo de uma emissora de TV em Porangantu, o que é absolutamente irregular e não tem justificativa a não ser interesse político e eleitoral.

Esse é o "salvador da pátria" que esconde a sua biografia eivada de manchas e tenta se apresentar como o presunçoso que vai "consertar" Goiás. O mesmo que nunca cumpriu um mandato até o final e abandonou a Prefeitura de Goiânia sem construir as prometidas 10 mil casas, sem "resolver" o transporte coletivo nem em seis meses, nem em seis anos, sem asfaltar todos os bairros, sem dar uma solução para o problema do Zoológico e sem humanizar o caótico trânsito da nossa capital. O mesmo que prometeu concluir a Marginal Botafogo e não o fez. Que prometeu, ainda, construir a Marginal Cascavel e o anel viário de Goiânia e também não construiu. Obras essas importantes para garantir a fluidez do trânsito de Goiânia, hoje tão caótico, além de solucionar o problema do transporte coletivo. Ele, Iris, prometeu e não cumpriu.


Daniel Goulart é deputado estadual

Nenhum comentário:

Postar um comentário