sábado, 2 de janeiro de 2010

29 de dezembro de 2009

Diário da Manhã

Poder público e a (falta de) responsabilidade com a dengue

Os últimos dados divulgados sobre a dengue em Goiás trouxeram números alarmantes. É preocupante a proporção que o avanço da doença vem tomando. São 350% de casos a mais em relação ao mesmo período no ano passado. Só até meados do mês de dezembro, mil casos foram notificados em Goiânia.

Um alerta vermelho à população e, principalmente, ao Poder Público, que não vem dando um bom exemplo. É claro que no combate à dengue parte da responsabilidade é de todos nós, afinal a água parada que muitas vezes esquecemos num vasinho de flor ou na calha pode ser um propenso foco criador do mosquito transmissor. O que não exime os governos de suas ações e também de fazer o dever de casa, o que muitas vezes não tem acontecido.

A imprensa local noticiou há poucos dias algo absurdo. Criadouros do mosquito em hospitais públicos da capital, inclusive naqueles que deveriam cuidar das vítimas da doença. No Hospital de Doenças Tropicais (HDT), cerca de 13 focos do mosquito foram encontrados, tanto em volta do prédio, como na calha. Também neste mês de dezembro, foram encontrados vários focos do mosquito no Hospital Geral de Goiânia (HGG). E, pasmem: 24 focos no Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo). Pelo visto, falta eficiência dos governos do Estado e do Município em todos os sentidos, inclusive em promover campanhas publicitárias que, pelo jeito, precisa informar até mesmo o público interno.

Aliás, a Prefeitura de Goiânia, que vem investindo em mídias até mesmo em cidades do interior, poderia aproveitar o espaço e divulgar à sociedade as maneiras de como evitar a proliferação do mosquito e também os sintomas da doença. Os meios de comunicação são uma arma poderosa em casos como esse em que informação nunca é demais.

Outro aspecto preocupante em relação à dengue é a evolução que ela teve nos últimos anos. Agora, pela primeira vez, os três tipos de vírus causadores da doença foram encontrados numa mesma época. Os levantamentos da secretaria de Saúde também revelam que o grau de letalidade da dengue aumentou. 25 óbitos foram registrados de janeiro até início de dezembro. Em 2009, essa taxa chegou a 8,5%, sendo que o aceitável pela Organização Mundial de Saúde é de 1%.

Os números relacionados a dengue são muitos, são altos e são frios. O mais triste em ver um aumento absurdo como esse das estatísticas é saber que nelas estão Marias, Josés, Augustos, Joanas, enfim, seres humanos. Muitos deles perderam suas vidas por causa de um mosquito. Seja pelo descuido que todos nós estamos suscetíveis, seja pelo descuido do próprio Poder Público, o que é ainda mais grave. É preciso que todos estejamos unidos para que estatísticas como essa deixem de existir.


Daniel Goulart é deputado estadual e vice-presidente do PSDB goiano (www.danielgoulart.com/

danielgoulart@assembleia.go.gov.br)


Diário da Manhã

Opinião do Leitor

E o Aeroporto Santa Genoveva?

Antigo, obsoleto e ultrapassado, o aeroporto Santa Genoveva definitivamente não atende mais às necessidades básicas para qual foi e é destinado. Possui o menor saguão entre as 27 Capitais brasileiras, ficando atrás inclusive de Rio Branco no Acre, Boa Vista e Roraima, Porto Velho em Rodônia e Macapá no Amapá. Até a recente Palmas possui um saguão maior que o nosso! Nossa cidade cresceu, o Estado evoluiu, passamos de 50 mil habitantes para 1.300.000, e o nosso aeroporto continua rigorosamente o mesmo.
Será que com o fim do sonho de Goiânia sediar a copa de 2016 não teremos mais a reforma e expansão do Santa Genoveva?
E se ele seria reformado para a Copa, significa que existe a verba, por qual motivo então não é utilizada?
Neste período de férias a situação fica ainda mais evidente, estacionamentos especiais não são obedecidos, como pra taxi, carro forte, deficientes físicos e carga e descarga, as lanchonetes cobram preços exorbitantes, alô Procon, como pode um simples salgado custar R$ 4,50? Não se vê um policial sequer, pelo menos um: caso haja uma briga, o que é muito natural em lugares de grande aglomeração de gente, não há a quem recorrer. O balcão destinado à PM e à AMT está quase sempre vazio, quando tem alguém é no período diurno. Detalhe, os painéis mostram que os voos não estavam atrasados, porém é só aumentar o fluxo de passageiros um pouquinho para estabelecer o caos.
Márcio Manoel Ferreira, professor, via e-mail

Escolha certo
Na sua mensagem de Natal aos brasileiros, Lula disse que é preciso fazer escolhas corretas. Faço votos que a população leve ao pé da letra e escolha corretamente seu candidato, não elegendo a candidata do governo que apóia o aumento de impostos, a morte dos aposentados além de não ter a menor experiência no ramo. Como em tempos de Natal as pessoas ficam mais sensíveis, quem sabe a estrela-guia brilhe nas mentes dos mais desinformados.
Luciana Lins, via e-mail

Um comentário:

  1. Jorge Antonio do Reis29 de dezembro de 2010 03:34

    Ao Prefeito Paulo Garcia.
    Prefeito esqueça o Iris e mostre que voce é tcador de obra.
    Vamos cuidar da nossa linda cidade.

    ResponderExcluir